Exposições Temporárias

Tropical Molecule

Tropical Molecule

Hugo França e Thiago Rocha Pitta

Molécula Tropical

Boesky West | Aspen
100 South Spring Street

15  de Fevereiro a 31 de Março, 2019

Inauguração

15 de Fevereiro de 2019

Das 17h às 20h

Galeria Marianne Boesky apresenta Molécula Tropical, exposição de obras do designer Hugo França e do artista Thiago Rocha Pitta, em Aspen

A Marianne Boesky Gallery tem o prazer de apresentar a Molécula Tropical, exposição do trabalho do designer Hugo França e do artista Thiago Rocha Pitta, em Aspen, Colorado. Diferentes em suas abordagens conceituais e estéticas, Rocha Pitta e França estão unidos pelo compromisso de se envolver e respeitar o ambiente natural, especialmente em seu país de origem, o Brasil. Em exposição de 15 de fevereiro a 31 de março de 2019, a mostra incluirá o mobiliário escultural característico de França ao lado de uma seleção de aquarelas, afrescos e fotografias de Rocha Pitta. Uma nova escultura de Rocha Pitta também será instalada no exterior da galeria As obras, juntas pela primeira vez, capturam as fronteiras entre arte e design e destacam a natureza e o tempo como uma poderosa fonte de inspiração.

O nome de Hugo França é sinônimo de formas monumentais e orgânicas. Suas esculturas funcionais, feitas de árvores de pequi descartadas e caídas, seguem as linhas naturais dos troncos, raízes e galhos dos quais são produzidos. Em suas mãos hábeis, essas marcas e formas são acentuadas, resultando em obras icônicas que mantêm a essência de suas fontes. Deste modo, o trabalho de França é quase espiritual, mantendo nele sua profunda apreciação às matérias-primas e suas origens nos magníficos arredores da Bahia. Essa qualidade, que França manteve ao longo de suas várias décadas de trabalho, remonta ao início de sua produção.

Hugo França nasceu em Porto Alegre, em 1954. Em busca de uma vida mais próxima da natureza, mudou-se para Trancoso, na Bahia, no início da década de 80, onde viveu por 15 anos. Lá, percebeu o grau de desperdício na extração e uso da madeira, vivência que pautou seu trabalho. Sentindo-se particularmente ligado às belas árvores do pequi, que podem atingir 150 pés de altura e 10 pés de diâmetro, ele procurou dar-lhes uma nova vida através do seu processo criativo. Hoje, para fazer suas obras, França confia em seu profundo conhecimento do litoral Sul da Bahia, bem como em sua equipe e comunidades locais para encontrar as árvores mortas ou caídas e remanescentes que se tornam seus bancos, cadeiras, mesas e objetos funcionais. Em alguns casos, os primeiros cortes podem acontecer dentro da floresta, estabelecendo uma trajetória instintiva para os trabalhos finais.

<br>

Hugo França nasceu em Porto Alegre, em 1954. É um aclamado designer que ao longo de sua carreira recebeu diversos prêmios, sendo o último deles, “50 For The Future Of Design: The New Tastemakers” House & Garden, Nova Iorque – EUA de 2007. França levou seu trabalho para feiras nacionais e internacionais, como Design Miami/Basel, Basel – Suíça (2018), Design Miami, Miami – EUA (2017), Collective 2 Design Fair NY, Nova Iorque – EUA (2014), Guild Design Fair, Cidade do Cabo - África do Sul (2014), entre outras. Participou de 38 exposições coletivas e 22 individuais, sendo a mais recente, em 2018, intitulada de Impressão Vegetal, na qual realizou uma produção inédita de monotipias.

Realizou dezenas de projetos de mobiliário público em importantes cidades como Vancouver (Canadá), São Paulo e Rio de Janeiro (Brasil) e possui obras em coleções permanentes como a do Instituto Cultural Inhotim, em Brumadinho - MG (Brasil), com mais de 130 obras suas.

Thiago Rocha Pitta (nascido em 1980 em Tiradentes, Minas Gerais, Brasil) é amplamente reconhecido como um dos principais artistas contemporâneos do Brasil. Realizou exposições individuais internacionalmente na Galeria Millan, em São Paulo (2018); Marianne Boesky Gallery, Nova Iorque (2017); Um Gentil Carioca, Rio de Janeiro (2016); Galeria Gluck50, Milão (2013); Andersen Contemporary, Copenhagen (2012); Parque Lage, Rio de Janeiro (2010); e Meyer Riegger Galerie, Karlsruhe (2009), entre outros.

Em 2018, Rocha Pitta foi selecionado para participar da 16ª Bienal de Istambul, organizada pela Fundação de Artes e Cultura de Istambul, e em 2012, apresentou-se na 30ª Bienal de São Paulo, com a sua instalação A iminência das poéticas. Seu trabalho foi incorporado a coleções públicas, inclusive no Museu de Arte Moderna de Nova York; Colección Jumex, Cidade do México; Museu de Arte Bass, Miami Beach, FL; Maison Européenne de la Photographie, Paris; Museu de Hara, Tóquio; ThyssenKrupp, Viena; e o Museu de Arte Moderna de São Paulo, São Pãulo.